Turismo no Centro de Portugal cresceu 20%

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, o Turismo no Centro de Portugal cresceu o dobro da média nacional.

A procura turística pela região centro do país continua a registar aumentos significativos, não se deixando afectar pelos incêndios que assolaram a sua paisagem em junho e outubro de 2017. Para Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, “o Centro de Portugal entrou definitivamente nos roteiros turísticos internacionais”.

Dados do INE revelam que em novembro de 2017, o total de dormidas na região cresceu 20%, em comparação com novembro de 2016. Este crescimento ganha um maior destaque, tendo em conta que, no mesmo período, as dormidas no país aumentaram em média 8,8%. Além do Centro de Portugal, o Alentejo também teve um aumento significativo de dormidas em novembro, cerca de 21,4%, um número superior face aos 10,9% da região de Lisboa, 10,5% Porto e Norte, 3,8%, Algarve, 3,4% Madeira e 1,9% Açores.

No total, contabilizaram-se mais de 310 mil dormidas em novembro no Centro de Portugal, mais 50 mil do que no mesmo mês em 2016. Desde 2014 que este número tem vindo a aumentar. O mercado estrangeiro continua a ser o grande impulsionador do crescimento turístico do Centro de Portugal. De 2016 para 2017, as dormidas estrangeiras aumentaram quase 50%. Comparativamente, a média nacional foi de 8,8%.

A procura do Centro de Portugal por parte de cidadãos nacionais também continua a crescer. Em novembro de 2017, registaram-se  na região 170.490 dormidas, mais 3,2% que em novembro de 2016.

“Considerando dados acumulados do ano, no período janeiro-novembro de 2017, o Centro de Portugal apresenta uma subida de 14,7% nas dormidas, em comparação com o mesmo período de 2016. De realçar que, nestes dez meses, as dormidas de estrangeiros progrediram 29,5%, para um total de 2,66 milhões”, afirma a Turismo do Centro.

Este crescimento turístico, resultou num aumento de proveitos totais na ordem dos 14,5 milhões de euros. A taxa de ocupação dos quartos subiu 3,7%. “Se analisarmos os meses de janeiro a novembro, há um crescimento de 19,7% nos proveitos totais. Dados promissores para os empresários que investem no turismo da região”, conclui a Entidade Regional.